4 de dezembro de 2020

Contato



Brigadistas estão sem receber diárias para pagar alimentação e estadia

São cerca de 1.400 brigadistas atuando

 

 

Em meio ao pior período de queimadas vivenciados na história recente do país, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), brigadistas que se deslocaram para atuar em zonas críticas, como a Amazônia e o Pantanal, estão desde setembro sem receber as diárias necessárias para alimentação, estadia e deslocamento.

 

Atualmente são cerca de 1.400 brigadistas atuando em 17 Estados e no Distrito Federal, de acordo com os dados do próprio governo federal.

 

“Os brigadistas da Bahia, do Piauí, Pernambuco, por exemplo, quando vêm pra cá [Pantanal] têm que receber as diárias referentes à alimentação e estadia. São muitos quilômetros, e eles têm que se alimentar, dormir, etc. Porém até agora ninguém recebeu nada, tá todo mundo trabalhando sem receber as diárias” afirma Márcio Yule, coordenador do Sistema Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (PrevFogo) do Mato Grosso do Sul, responsável pela atuação de brigadistas que atuam no combate ao fogo no Pantanal.

 

O PrevFogo, que atribui ao Ibama, a competência de coordenar as ações necessárias à organização, implementação e operacionalização das atividades relacionadas com a educação, pesquisa, prevenção, e controle e combate aos incêndios florestais e queimadas.

 

O coordenador afirma que, na verdade, o valor deveria ser repassado para os profissionais, antes das viagens terem sido feitas. “Pela norma, pela legislação de pagamento, você tem que receber antes de viajar. Porque é um dinheiro que você recebe para cobrir. Se não você tá pagando para trabalhar”, denuncia.

 

 

Fonte: Brasil de Fato