22 de outubro de 2021

Contato




Warning: mysqli_query(): (HY000/1194): Table 'sindiserfrs2018_usermeta' is marked as crashed and should be repaired in /home/sindiserfrs/www/wp-includes/wp-db.php on line 1924

Com PEC 32, casos como o da Prevent Senior podem se espalhar pelo Brasil

Mas nem tudo está perdido. Os servidores

Com a proposta de Reforma Administrativa (PEC-32), o governo Jair Bolsonaro pretende promover o desmonte do setor público brasileiro e repassar os seus serviços para a iniciativa privada, além de aparelhar o estado com apadrinhados políticos ao invés de promover concurso público. Desta forma, os governantes poderão fazer qualquer tipo de acordo com as empresas privadas que assumirem os serviços hoje públicos.

 

O caso da Prevent Senior pode ser um exemplo do que acontecerá no Brasil caso a PEC 32 seja aprovada. Devido à ligação ideológica entre os presidentes da empresa e o governo Bolsonaro, a Prevent Senior resolveu deixar de lado todos os protocolos científicos para combater a Covid-19 e administrar medicamentos ineficazes contra a doença sem o consentimento dos pacientes, o que provocou diversas mortes. A empresa também tem sido acusada de omitir mortes num estudo sobre a hidroxicloroquina com o objetivo de demonstrar sua eficácia.

 

Enquanto isso, o Sistema Único de Saúde (SUS) salvou milhares de vidas em todo o país, mesmo com o descompromisso e má vontade de Bolsonaro em vacinar a população e o seu estímulo para que os brasileiros abandonassem a quarentena, o que elevou o número de contágio e mortes. Hoje já são mais de 600 mil mortes.

 

“Imaginem isso acontecendo em todos os setores! Por exemplo, as universidades e institutos federais ensinando a seus alunos que o planeta terra é plano. Ou polícias perseguindo pessoas por causa de suas ideologias políticas. Poderemos nos tornar um país de regime totalitário controlado por pessoas que são amigas e pensam igual aos governantes de plantão. Que não irão se opor a nenhuma decisão desses governantes, por mais imoral, tresloucada ou corrupta que seja. O Brasil irá se transformar no país onde os fatos objetivos e verdadeiros terão menos influência que as mentiras e os apelos às emoções e às crenças pessoais. Seremos um laboratório para um experimento jamais implantado no mundo”, comentou o diretor de Imprensa do Sindsep-PE, Eduardo Albuquerque.

 

Mas nem tudo está perdido. Os servidores públicos e a população brasileira ainda podem frear as intenções do governo Bolsonaro.

 

Mobilização

A pressão dos servidores federais, estaduais e municipais contra a Reforma Administrativa está sendo permanente. Estão ocorrendo atos contra a PEC-32 todas as terças, quartas e quintas, em Brasília. Além disso, os servidores continuam atuando nas redes sociais com o objetivo de exercer pressão junto aos deputados federais e senadores para conquistar votos contra a proposta.

 

Na Pressão

A população e os servidores públicos também podem combater a Reforma sem nem precisar sair de suas casas. É que o site Na Pressão (aqui) possibilita o envio de mensagens para os deputados federais e senadores por WhatsApp, telefone ou e-mail. E a mensagem a ser enviada é simples: votou a favor da reforma, não voltará a ser eleito.

 

No site da Condsef/Fenadsef (aqui), os trabalhadores podem ter acesso ao material produzido para a campanha Cancela a Reforma.

 

A campanha também está no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube. Procure por @cancelaareforma. Siga, curta e compartilhe os materiais e  ajude a defender os serviços públicos brasileiros. Para receber todas as informações da luta contra a Reforma Administrativa, o interessado também pode enviar uma mensagem para o número de telefone: (61) 98357-4114. Imediatamente o seu WhatsApp estará cadastrado e ele passará a receber diversas informações direto no celular.

 

O servidor também pode enviar um oi para o telefone do Sindsep-PE Conectado: (81) 99976-2839. Desta forma, irá receber diversas informações sobre a PEC-32.

 

Também está no ar a enquete da Câmara Federal sobre a Reforma e votar na opção Discordo Totalmente. Para votar basta entrar no endereço eletrônico da Enquete (aqui).

 

Fonte: Sindsep-PE

Foto: Guilherme Gandolfi