7 de julho de 2020

Contato



Dica cultural de sexta: Chico Mendes  

Chico Mendes foi premiado diversas

A dica cultural desta sexta-feira (5) é o ambientalista e sindicalista Chico Mendes. Seringueiro, sindicalista e político defensor das causas ambientais, Francisco Alves Mendes Filho nasceu em Xapuri, no Acre, em 15 de dezembro de 1944.

 

 

Devido a exploração dos seringueiros e a vida na pobreza, ele teve a necessidade de buscar meios para melhorar o trabalho nos seringais. No ano de 1975, Chico iniciou a sua trajetória sindical como secretário geral do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Brasiléia. A partir disso, participou ativamente das lutas dos seringueiros para impedir o desmatamento da região amazônica e em prol dos povos da floresta.

 

No ano seguinte, fundou o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Xapuri, sendo eleito vereador pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB) local. Em 1979, acusado de subversão durante seu mandato, foi preso e torturado. Chico Mendes ajudou na fundação o Partido dos Trabalhadores (PT) no início da década de 1980. Em 1985, liderou o 1º Encontro Nacional de Seringueiros, durante o qual foi criado o Conselho Nacional dos Seringueiros (CNS), que se tornou a principal referência da categoria.

 

 

Uma semana após completar 44 anos, no dia 22 de dezembro de 1988, Chico Mendes foi assassinado com tiros no peito, na porta dos fundos de sua casa, disparados por um grileiro de terras da região.

 

Chico Mendes foi premiado diversas vezes por seu ativismo, recebeu o Global 500 da Organização das Nações Unidas (ONU), na Inglaterra, e a Medalha de Meio Ambiente da Better World Society, nos Estados Unidos. Após a sua morte, prêmios, parques, institutos e memoriais foram criados para divulgar seu legado e homenagear o líder seringueiro. Em 2007, foi criado o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

 

 

Fonte: Sindiserf/RS com informações da Wikipédia e do Último Segundo