18 de setembro de 2021

Contato



Servidores protestam contra a PEC 32 em frente ao HPS, em Porto Alegre

A expectativa é de que a votação ocorra até quinta.

Atividades acontecem também em Brasília. A PEC deve ser votada na Comissão Especial até quinta

 

O mau tempo não impediu que os servidores públicos fossem às ruas protestar contra a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 32/2020, da reforma administrativa. Em Porto Alegre, diretores do Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos Federais do RS (Sindiserf/RS) participaram do ato público realizado em frente ao Hospital de Pronto Socorro (HPS). A atividade foi convocada pela Frente dos Servidores Públicos (FSP-RS).

 

 

Em Brasília, que recebe caravanas de servidores de todo o país, já nas primeiras horas da manhã de hoje terça-feira, houve pressão no Aeroporto sobre parlamentares que chegam para os trabalhos do Congresso. Às 14h acontecerá a concentração de todos os servidores no Espaço do Servidor, na Esplanada dos Ministérios e de lá, seguem à Câmara.

 

O secretário-geral do Sindiserf/RS, Marizar Mansilha de Melo foi enfático ao afirmar que os servidores, de todas as esferas, estão unidos para derrotar a reforma administrativa. “A PEC 32 é a destruição do serviço público, é a retirada de direitos ao cidadão que paga por isso através dos impostos”.

 

Se referindo aos governos de Eduardo Leite (PSDB) e de Sebastião Mello (MDB), o diretor indagou como seria se a reforma administrativa de Jair Bolsonaro já tivesse sido aprovada. “Já teriam entregado tudo para a iniciativa privada”, afirma ele.

 

 

De acordo com Marizar, hoje é um dia importante de diálogo com a sociedade. “O Sindiserf/RS está junto nesta caminhada e vamos caçar um a um dos deputados que votarem contra o serviço público, nas suas bases, e falar que eles destruíram o serviço público”.

 

Representando a CUT-RS, a secretária geral adjunta do Sindicato, Eleandra Raquel da Silva Koch garantiu que derrotar a PEC é dar uma pá de cal no governo Bolsonaro. “O serviço público é novo ativo do mercado. O que acontece aqui no HPS e no Hospital Presidente Vargas é o que querem fazer em todo o serviço público, entregar para o capital”, ressalta ela.

 

 

“Estamos aqui, em mais um dia de luta, para dizer que não aceitaremos a destruição do serviço público. Com a pressão nos deputados, vamos cancelar e derrotar a reforma administrativa”, acredita Eleandra, fazendo referência aos dados que apontam que o RS precisa virar o voto de seis parlamentares gaúchos para garantir a derrota da PEC na Câmara.

 

Dia de luta – Também serão realizados atos em outros estados a partir desta terça até quinta (16). As datas estão alinhadas ao calendário da Comissão Especial da PEC 32 na Câmara dos Deputados, que terá duas reuniões deliberativas para discussão e votação do parecer do relator, Arthur Maia (DEM-BA). A expectativa é de que a votação ocorra até quinta.

 

 

Fonte: Sindiserf/RS

Fotos: Renata Machado (Sindiserf/RS)